quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Désolé

Vi o texto de hoje do blog de Marcelo Rubens Paiva. Compartilho aqui:

"Não, prezados leitores, não entrei no PALÁCIO DE BUCKINGHAM.
Acho programa de menina este lance de entrar em cômodos de uma rainha.
Além do quê, custava 50 pratas.
A mulher mais rica da Inglaterra cobra para visitarmos seus aposentos.
Por isso é rica.
Rico é fogo, sempre quer mais.
Se ainda tivéssemos direito de conhecer sua coleção de roupas de baixo…
Ganharia um sentido arqueologicamente interessante.
Mas que nada, fui ao museu.
Programa de menino e menina.
+++
I’m aftraid not!
Adoro esta expressão que só tem aqui.
Para tudo, eles dizem I’m afraid not.
Tradução literal: Tenho medo que não.
Você tem café descafeinado?
Tenho medo que não.
Tem ingresso ainda?
Tenho medo que não.
Só perde para outra expressão mais dramática, proferida pelos franceses.
Je suis désolé.
Que é o mesmo que I”m afraid not.
Adoro quando me falam Je suis désolé.
Eu estou desolado, a tradução literal.
Você tem ração para gatos?
Je suis désolé.
Me sinto triste em ver alguém desolado por algo que não tem.
Sempre tenho vontade de abraçar e consolar a pessoa que me diz Je suis désolé.
Não fica assim, passa, meu gato nem está aqui, relaxa…
Americanos são também dramáticos, preferem I’m terribly sorry.
Não é preciso tradução.
Mas também tem um tom dramático para se desculpar.
Pelo jeito, eles exageram nas desculpas.
Como se implicasse uma incompetência que os envergonhasse.
Prefiro o nosso: Tenho não!"

Agora? Mombojó.

Um comentário:

Aprendiz disse...

Jé suis Désolé!!!

A língua francesa é mara!!!

Muito engraçado o fato da rainha cobrar pela visita!

Belo blog, estou seguindo!!