terça-feira, 2 de março de 2010

Idas e Vindas do Amor (Valentine's Day)


Idas e Vindas do Amor (Valentine's Day)
EUA/ 2010/ 125 min
Direção: Gary Marshall
Roteiro: Katherine Fugate
Elenco: Ashton Kutcher, Jennifer Garner, Julia Roberts, Anne Hathaway, Jamie Foxx, Jessica Alba, Jessica Biel, Bradley Cooper, Patrick Dempsey, Topher Grace, Queen Latifah, Taylor Swift, Taylor Lautner.

Então apesar de todo o meu preconceito finalmente fui ver Idas e Vindas do Amor em um dia bem “preciso ver alguma coisa leve”, feito! Tudo o que eu esperava está aqui, embora não tenha sido tão traumático como o previsto. Vamos lá:

O filme é uma grande colcha de retalhos composta por situações de amores e desamores, encontros e desencontros ligando diversos personagens no melhor estilo “Maria gosta de Joãozinho, mas ele gosta de Luluzinha que gosta de Joãozinho, mas...”. Tudo se passa no dia de São Valentim, o dia dos namorados em diversos lugares do mundo, inclusive em Los Angeles, cenário do filme. Todas essas histórias se desenrolam em uma mesma cidade durante as 24 horas do dia em questão.

O filme é, na verdade, uma desculpa para levar casais apaixonados à sala de cinema. Como fazer isso? Convidar astros famosos para arrastar multidões. Nesse caso a lista é grande: Julia Roberts (Uma Linda Mulher), Ashton Kutcher (Efeito Borboleta), Jessica Alba (Sin City), Jamie Foxx (Ray), Anne Hathaway (O Diabo Veste Prada), Taylor Lautner (A Saga Crepúsculo), Jennifer Garner (De Repente 30), Patrick Dempsey (Encantada), Bradley Cooper (Se Beber Não Case), Queen Latifah (A Casa Caiu), Topher Grace (Em Boa Comoanhia e a Série That 70’s Show), Jessica Biel (O Massacre da Serra Elétrica) e a cantora Taylor Swift.

Todas as histórias são bem definidas e amarradas, nada fica sem uma resolução - o que é bastante satisfatório, mas isso não é o suficiente para tornar Idas e Vindas do Amor realmente interessante. Tudo bem que comédias românticas normalmente dão recheadas de clichês e não surpreendem muito, mas das muitas lançadas anualmente algumas se destacam pelo seu charme. Um filme nessa linha que consegue esse feito é Simplesmente Amor, comédia britânica natalina. É mais ou menos o que foi feito com Simplesmente... que se tenta realizar aqui, mas a versão americana deixa a desejar. Não conta com boas piadas nem com o humor irônico e, principalmente, nem todos os personagens são tão cativantes quanto os do filme inglês.

Aqui não existem grandes emoções nem surpresas e a projeção de 125 minutos se torna um pouco longa para tantas pontas a se juntar. Apesar de tudo isso o filme é razoável. Consegue proporcionar um entretenimento leve sem compromisso que até diverte, mas assim que você deixar a sessão já não vai lembrar do que viu. Bom, alguém esperava mais disso?

Um passa de tempo de fim de tarde para abstrair-se das preocupações (caso Simplesmente Amor esteja locado) ou para quando você já viu os demais filmes em cartaz.


Agora? Cat Power.

Ainda assistindo a 4ª temporada de Will and Grace compulsivamente (último DVD do box).

Um comentário:

L!mOnadah ♥Slemom X♥ disse...

Gostei do teu blog, o post anterior sobre O Lobisomem (The Wolfman) ta massa * BJUS^^