terça-feira, 28 de abril de 2009

Cine PE - Dia 1


Um bom começo.
O primeiro dia do festival foi muito bom, mas como eu havia imaginado, não pude ficar para a longa, embora justamente o da segunda-feira muito me interessasse. O filme exibido foi o do cineasta grego naturalizado francês Costa Gavras, Eden is West. Conhecido por seus filmes engajados (Amém, Z e O Quarto Poder, por exemplo) o mais recente trabalho do diretor aborda como tema principal a imigração. Infelizmente não pude conferir. Foi triste deixar a sala com a projeção às minhas costas.
Bom, em relação aos curtas, só os do primeiro dia superaram a mostra do ano passado que, para mim, foi bastante fraca. Portanto, se o festival continuar assim ele ainda promete.
Excepcionalmente esse ano não contou com uma apresentação artística como abertura. Pois é, nada de danças nem cantos nem nada, mas isso não prejudicou a noite, os filmes falam por si só, não é? Ah! Vale lembrar que, como de costume, a casa estava cheia.
A sessão teve início por volta das 19h40min, ou seja, um atraso bastante aceitável. E o que mais chamou a atenção foi a qualidade técnica dos filmes apresentados - muito boa!

Filmes da Noite:

** Curtas Digitais:

*A Ilha (única animação da noite)
Animação que conta a história de um homem ilhado na própria cidade. Otimo! Tecnicamente muito boa e um roteiro super divertido, além de um personagem cativante. O enredo ficou um pouco cansativo em um determinado momento, mas isso não prejudicou em nada.

*Manual para se defender de alienígenas, zumbis e ninjas (ficção)
"James Knicks, um famoso escritor de ficção cientifica, está elaborando um kit para se defender de alienígenas, zumbis e ninjas há 28 anos. O problema é que esse kit agora caiu em mãos erradas."
Ficção extremamente bem realizada e divertida! Utilizou diversos clichês e referências de maneira interessante o que provocou muitas gargalhadas na platéia.

* O Troco. (ficção)
"Uma atendente de telemarketing tenta fazer o cliente adquirir mais uma linha telefônica de sua empresa."
De todos os curtas eu, particularmente, deixei o Centro de Convenções com dois preferidos, esse foi um deles. Assim como os demais, o curta foi super bem feito, mas ao tratar de um tema tão palpável de maneira tão cômica me cativou e, pelo que vi, também agradou muita gente por lá. Assim como o primeiro comentado aqui, algumas piadas se tornaram cansativas, mas nada que prejudicasse o todo.

* Curtas em 35mm:

* Menino Aranha (único documentário da noite)
"Menino Aranha: Uma real lenda urbana contada no Recife na década de 90"
Quem disse que documentário não pode ser diferente? Depois de uma sucessão de documentários cansativos e iguais a sempre na Mostra Pernambuco (alguns deles, não todos), deparo-me com esse belíssimo filme que consegue ser apresentado ao espectador de uma maneira diferente e encantadora. Aqui o menino aranha é visto apenas como vítima, a história é contada de maneira parcial (o que não é ruim na minha opinião), mas tudo é apresentado poeticamente - muito bom! Esse foi o outro filme que mais me agradou na noite.

* Ana Beatriz (ficção)
" Ana Beatriz e Paulo Roberto ainda não se conhecem, mas foram feitos um para o outro. E desde cedo o dia promete... ser igual a outro qualquer. Filme baseado no conto homônimo de Juliano Cazarré."
Stop Motion com fotos super fofo. Uma história romântica bem bonita. Daqueles que a platéia sai feliz, sabe?

* Blackout (ficção)
"Um assessor e um suplente parlamentar resolvem fumar um baseado numa sala em reforma da Assembléia Legislativa. O que era para ser um momento de relax, vira uma constante sucessão de revelações e surpresas que pioram a cada segundo."
Também muito bom. História inovadora e cheia de surpresas. Bastante original.

Após o costumeiro intervalo, Costra-Gavras foi homenagiado com uma orquestra formada por crianças e subiu ao palco para agradecer e falar um pouco sobre seu filme.

Vamos torcer para que a qualidade dos curtas de segunda seja mantida.

Ok, falei demais.

Um comentário:

seguidoradelivros disse...

ei!
não tô nem animada pro Cine PE.
se bem que isso vem acontecendo com tanta coisa (abril pro rock, festivais de cinema, shows).
que será que acontece?
eu mudei ou essas coisas morgaram absurdamente? o.O