domingo, 4 de outubro de 2009

Adeus


Naquele quarto antes tão familiar, permanecia apenas a dor. Júlia levantara aquela manhã com a única certeza de que jamais voltaria. Todos os cantos tão conhecidos, as dobras e detalhes de um mundo particular, mundo que se fora.
No quadro de fotos recordações que, agora, seriam esquecidas. Rostos amigos que não diziam mais nada. Momentos dos quais não queria mais se lembrar. Seus livros, suas roupas, suas músicas, suas coisas, nada disso falava mais por ela, nada daquilo a definia. Não mais.

Ela arrumou poucas coisas numa pequena mala e se sentou mais uma vez na cama que costumava ser sua. Toda etapa da vida merece um adeus. Ela, pelo menos, pensava assim. Olhou tudo ao seu redor embora soubesse que não precisaria, estava tudo em sua memória, mas o fez mesmo assim porque sabia que quando cruzasse aquela porta tudo ficaria para trás.

Levantou-se, passou a mão sobre o vestido que usava e fechou a porta atrás de si.



Imagem

3 comentários:

JÚLIA disse...

Muito "mara" este texto!

Priscila Rôde disse...

Que jeito mais lindo de falar sobre o Adeus, que as vezes é tão dolorido. Adorei!

beijos

Guilherme Alves disse...

Lindo texto, parabéns. Forma simples e emocionante sobre dizer adeus a uma etapa da sua vida. Bjs