domingo, 10 de maio de 2009

Ele Não Está Tão A Fim de Você (He's Just Not That Into You)


Ele Não Está Tão A Fim de Você (He's Just Not That Into You)
EUA/ Alemanha/ Holanda/ 2009/ 129 min
Direção: Ken Kwapis
Roteiro: Abby Kohn, Marc Silverstein
Elenco: Ginnifer Goodwin, Kevin Connolly, Scarlett Johansson, Bradley Cooper


Então saí de casa para assistir à Dúvida (com Meryl Streep e Philip Seymour Hoffman. Os dois? Adoro!). O problema é que me confundi com os horários e acabei perdendo a sessão que poderia pegar e realmente não podia esperar pela próxima... Lá fui eu ver Ele não está tão a fim de você que mesmo após uns mil anos em cartaz, permanece firme e forte. Como eu ainda não tinha visto mesmo e estava interessada, comprei o meu ingresso para a sala escura de sonhos e fui!
O enredo é básico: encontros e desencontros amorosos vistos, visitados e analisados sob diversas perspectivas, tanto femininas como masculinas. Então questões como “homens querem casar?”; “Por que as mulheres desejam o casamento?”; “Por que ele não ligou?”; “Ainda encontrarei o amor?” entre muitas outras entram em cena por aqui de maneira leve e despretensiosa.
Alguns dos principais questionamentos entram como blocos específicos do longa com direito, inclusive, a letreiros, como acontece em alguns documentários, por exemplo. Além disso, alguns depoimentos são inseridos no filme para servirem como mola para determinadas situações. O que dá a sensação de que as perguntas do próprio espectador ou de alguém que ele (a) possa conhecer estão sendo abordadas ali – e provavelmente estão mesmo.
O negócio é que o longa tenta abraçar mais do que se pode em apenas duas horas de filme. Além do mais, são muitos personagens e nomes famosos para conseguir dar conta. Eu, por exemplo, estou me perguntando até agora o que Drew Barrymore estava fazendo ali. Ela poderia ter participado apenas da produção porque realmente não faria falta no enredo. Mas o nome dela estava no cartaz ajudando a incrementar a bilheteria, acho que isso já paga, né? Enfim, o resultado final poderia ter sido bem melhor se algumas situações – e pessoas – fossem cortadas para que o filme tivesse um foco mais delimitado.
Então temos a boa e velha situação do ele –gosta–dela–mas-ela-gosta-de-outro-que-é-casado-que... E lá segue a dança de roda, mas de maneira até divertida já que alguns personagens são interessantes e, bem, essas histórias sempre dão o que falar, já que se trata de um assunto tão familiar ao público e cativam ainda mais principalmente quando se trata de uma comédia romântica meiguinha.
Razoável, mas apesar das ressalvas, Ele não está tão a fim de você é fofinho. Daqueles bestas, com um monte de clichê e falhas, mas que deixa a gente com um sorrisinho no rosto. Bom, sem grandes expectativas e para uma sessão-pipoca funciona.

3 comentários:

Bruno Costa disse...

Mas nem é ramake. É aquela velha: "como todos se conheceram; a história antes tudo". Pode ir ver tranquila que o roteiro é original. E muito bem bolado.



ahhhhhhh! dia 20 estreia Anjos e Demônios! (L)

Nalim disse...

olá, parabéns pelo seu blog! tõ afim de ver esse filme... :P
convido você a me visitar
www.camisetacolorida.blogspot.com
vou te seguir, gostaria de ser minha seguidora?
abraços:*

Conceição Duarte disse...

Pois, é, mesmo sendo over nos persongens... ele acaba distraindo a gente... Mas vc tem total razão... Muito índio para pouco cacique...

bj